16 Feb
Crise na PM capixaba dispara alerta em todo o Brasil
Lido 872 vezes | Publicado em Notícias | Última modificação em 16-02-2017 15:19:41
 
tamanho do texto reduzir tamanho do texto aumentar tamanho do texto
Qualifique este item
(0 votos)

Bastou uma semana para o Espírito Santo cair do céu direto no inferno. De exemplo quase isolado de ente federativo com as contas públicas em dia, o Estado ganhou manchetes internacionais e chocou o país depois da paralisação da Polícia Militar em todo o seu território. Esse caos, com mais de 130 assassinatos, roubos e população presa dentro de casa, disparou um alerta nacional: o risco de o perfil do movimento que ocorre no Espírito Santo se espalhar pelo país.

Na última semana, o professor Pablo Lira, do curso de mestrado de Segurança Pública da UVV e pesquisador da Rede INCT Observatório das Metrópoles, colaborou com a imprensa para analisar a situação da paralisação da Polícia Militar do Espírito Santo, como também refletir sobre os rumos da política de segurança no país.

“Um dos maiores problemas é a falta de uma Política Nacional de Segurança Pública. Já passou da hora de o Brasil abrir os olhos. O que temos visto é que os governantes em Brasília, em vez de se preocuparem em somar esforços junto aos Estados, estão concentrados em fazer o loteamento político do ministério da Justiça e da Segurança Pública para se protegerem da Operação Lava Jato”, apontou Pablo.

“A sociedade é quem paga o preço”

Por Pablo Lira

O Espírito Santo investiu muito em Segurança desde 2003. Não é uma crise estrutural. É uma crise conjuntural com fatores externos influenciando seus desdobramentos e tensionamento. São a crise econômica nacional, que repercute na gestão dessa crise conjuntural, e a falta de liderança do governo federal. Até a década de 1990, valia que a Segurança era problema exclusivo dos Estados e da Polícia Militar, e a gente está há décadas nesse vazio de uma Política Nacional na área. Na crise prisional no Norte e Nordeste, não vimos o governo central se mobilizando. A Constituição diz que a Segurança é dever do Estado como um todo. Outro ponto é a falta de continuidade dos programas nacionais e das políticas públicas, como o Pronasci e Territórios da Paz, que mobilizaram a população. Amanhã ou depois esse caos do Espírito Santo vai se repetir em outros Estados, o governo federal não será protagonista na solução e toda a sociedade pagará o preço.

Leia as matérias completas:

Crise na PM capixaba dispara alerta em todo o Brasil

Paralisação dos policiais do ES pode se generalizar e resultar em intervenção militar, diz especialista

 

E mais:

Direito à Segurança Pública no Brasil

 

 

O laboratório da Coordenação Nacional da Rede INCT Observatório das Metrópoles está temporariamente fechado, por conta do incêndio ocorrido, no começo de outubro, no Prédio da Reitoria da UFRJ.

Pedimos que os contatos sejam realizados pelos seguintes e-mails:

Elizabeth Alves
beth@observatoriodasmetropoles.net

Assuntos administrativos

Karol de Souza
karol@observatoriodasmetropoles.net

Assessoria de Comunicação

Breno Procópio
comunicacao@observatoriodasmetropoles.net

Assuntos Acadêmicos

Juciano Rodrigues
juciano@observatoriodasmetropoles.net